Uma lâmpada, que estava perto do Fred, começou a piscar. A porta, na qual o Fred entrou, abriu sozinha. Quando olhou para foto, viu um menino, usando o cachecol. Fred então, achou que a casa teria um dono, então foi procurá-lo. Andando na casa, viu um prato sujo em uma mesa, isso aumentou as suas suspeitas que a casa havia um. Quando ia voltando na cama, onde havia encontrado as fotos, escutou uma porta se fechando. Era a ponta na qual Fred entrou. Ele ficou com bastante medo, pois, sabia que existia alguém perto de onde estava. Ele então se escondeu de baixo de uma mesa com um pano que o cobria. Ele escutou, em uma voz meio grossa: – Quanto tempo... era tão bom neste tempo viu... poder jogar bolas de neve em todo mundo que aparecia lá! Mas, sou obrigado a esquecer, deste triste inverno da qual nunca me esquecerei. E logo após disso, escutou uns passos fortes subindo a escada que leva para o segundo andar. Fred, pensou rápido. Foi para a porta, abriu-a e saiu da casa. Mas voltou e bateu na porta e falou: Olá! Me chamo Fred, poderia me deixar entrar? Aqui fora está muito frio, não sei se consigo suportar! Quando falou, percebeu que a cortina se mexeu, então viu a mão do homem misterioso. A porta então se abriu, o homem perguntou: - O que faz por aqui? Veio me incomodar? Se sim, já está conseguindo! Fred então responde: - Olá! Como disse antes, meu nome é Fred, estava passando pela sua casa quando a neve começou a cair, pensei que então, pudesse entrar aí até a neve passar. Então o homem responde: Tudo bem, pode entrar. Mas se tiver outras intensões nem queira saber do que sou capaz! Fred entrou e perguntou qual era o nome dele, então ele falou: José. Quer tomar alguma coisa? Um café, um chá bem quente? Fred o responde: Sim, um café por favor! Estou com muito frio! José então sai da sala onde se encontravam e foi para a cozinha preparar um café quente. Depois de um tempo José volta para a sala com o café e dá ele para o Fred. Fred então fala: - Muito obrigado José, pelo o café e pela sua hospitalidade. Mas não consigo segurar, por que mora aqui, bem longe da cidade? José o responde: Quando eu era criança, meus pais viviam viajando por causa do trabalho. Vivia com meu avô e meu cachorro, o Tody, aqui nesta casa. Mas uma vez saí com o Tody para brincar lá fora, era tarde e estava começando a nevar. Nós estávamos brincando tanto, que nem percebemos que estava a nevar, correram para casa e conseguimos chegar, sãos e salvos. O meu avô ficou muito bravo comigo por ter chegado tarde. Então me colocou de castigo. Nesse dia, percebi que viver por aqui, longe da cidade é bem mais divertido. E caso esteja sentindo um friozinho no seu joelho, é o Tody lambendo você! E começa a dar risadas. Fred então ficou surpreso pela a história na qual José havia o contado, resolveu falar: - Uau, você também tem um cachorro!? Mais que bonito! Também tenho um, chamado Scooby Doo! E então, ficaram conversando a tarde inteira, sem nem perceber. Fred perguntou para o José se poderia dormir na casa dele até a neve passar, pois ela ficou mais intensa. José aceitou, disse que havia um quarto na qual ele poderia se hospedar. Fred agradeceu, e foi para o quarto dormir. Percebeu que naquele dia, fez um grande amigo, que se chama José.
Enjoy the site? All donations are appreciated

Free Text Host is brought to you by Dagon Design
This site contains no adware, spyware, or popups
Questions? Comments?     Privacy Policy     Report abuse here